Projetos Concluídos

Parafix

O Parafix consiste na prática de suspender uma pessoa com o auxílio de um paraquedas ou aparelho similar de velame insuflável, preso e ancorado junto ao solo através de uma corda ou cabo, sendo o vento a força propulsora.

Por ser colorido, o Parafix atrai a atenção de pessoas de todas as idades, podendo ser utilizado tranquilamente nas ventosas praias do litoral brasileiro, numa operação simples e segura. Pela praticidade de manuseio e segurança, os bombeiros no Estado do Ceará utilizaram essa invenção como um posto de vigilância.

O Iteva montou uma linha de produção para vender o Parafix, com diferentes cores, dessa forma, essa tecnologia foi vendida até para a Europa.

Forragem hidropônica de milho

O Iteva desenvolveu o método de produção de forragem hidropônica de milho para alimentação de animais. Rápido o método utiliza pouco espaço e mão de obra. A forragem é feita em uma superfície impermeável, como cimento e lona de plástico sobre o solo. Com o manejo adequado vai se formando um tapete denso de pés de milho.

O cultivo da forragem hidropônica de milho foi desenvolvido principalmente para a época de seca, devido a escassez de forragens e o alto custo de ração comercial, principalmente para a região semiárida do país. A finalidade é criar alternativas economicamente viáveis na alimentação dos animais. O cultivo da forragem Hidropônica de Milho é realizado em grande densidade, já que uma pequena área de produção gera o produto em quantidade e rapidez, possibilitando a sustentação e sobrevivência dos animais de forma barata e prática.

As vantagens da forragem hidropônica é o alto valor proteico, a alta produtividade, a desnecessidade de preparar o solo, e o não uso dos agrotóxicos.

Cursos e capacitações

Foram destinados diversos cursos e capacitações na entidade. Como os cursos envolviam, preferencialmente, atividades de qualificação, tais como eletricidade básica, energia solar fotovoltaica e agricultura orgânica, os jovens capacitados eram direcionados a entidades parceiras que necessitavam de mão de obra dessa expertise, beneficiando um total de 228 jovens de 19 a 24 anos entre 2000 e 2004.

Aulas de campo

As aulas de campo de diversos colégios aconteceram no Iteva e foram assistidas em média, por nove mil alunos/ano, entre 1999 e 2004. Alunos do ensino fundamental, médio, superior e até professores e mestres obtiveram oportunidade de contato com diversas tecnologias da área energética, termodinâmica, agronômica e biológica, além de participação em ensaios e estudos da interdisciplinaridade.